Atriz Araci Esteves é a homenageada do Art In Vento em Osório

Com um currículo cheio de participações nas principais emissoras do país, a atriz nascida no ano de 1939 na localidade de Barra do Ouro/ Maquiné - pertencente na época a Osório, Araci Esteves, hoje com 80 anos, é a homenageada da 14ª edição do Art In Vento festival de teatro de Osório. Do teatro à televisão, Araci Esteves ganhou reconhecimento e prêmios pelos trabalhos desenvolvidos, alguns, em parceria com a comediante Dercy Gonçalvez e outros, nos horários nobres da TV Globo.

Entre os destaques, vale citar as novelas "Esperança", de 2002/03 e "Eterna Magia" de 2007, além da participação na minissérie "A casa das sete mulheres", em que interpretou a personagem Mulher. No tempo que esteve trabalhando ao lado da Dercy Gonçalves, a osoriense passou uma temporada em Portugal, sendo a atriz convidada da companhia.

Formada em Arte Dramática, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Ufrgs, sua primeira experiência foi no cinema, no curta "O Marginal" em 1957. Durante toda sua trajetória, a atriz sempre conciliou os estudos e o aperfeiçoamento do trabalho.
Seu trabalho mais recente é no longa "A casa", de 2019. Em 2017, ela foi premiada na categoria "Melhor Atriz", no "NYC Picture Stant Film Festival", pelo trabalho em "Gotas de Fumaça", curta dirigido por Anne Siedermann. No Festival de Cinema de Gramado, a atriz venceu a categoria "Melhor Atriz", em 2006.

Confira alguns destaques da carreira de Araci Esteves:

TELEVISÃO

1970 - Participação no programa "Câmera Um", direção de Jaci Campos.
1997 - Participação em um episódio na série "RS - 100 anos de História'', da RBS TV.
2002/03 - Novela "Esperança", da Rede Globo.
2003 - Participação na minissérie "A casa das 7 mulheres".
2007 - Novela "Eterna Magia" da Rede Globo.

CINEMA

1957 - Curta "O Marginal"
1971 - Filme "Memórias de um sargento de milícias", direção: Antonio Carlos da Serra. Personagem: Madrinha.
1972 - "A Dama das Camélias", personagem: Cortezã. Produção: Dercy Gonçalves. Direção: Flávio Rangei.
1979 - "Liberdade liberdade", direção Millôr Fernandes.
1984 - "Champagne para Mãe Tuda", direção Luis Paulo Vasconcellos. Personagem: Mãe Tuda.
2019 - Longa "Acasa". Personagem: Mãe

TEATRO

1963 - "O processo de Luculus". Direção: Lúcia Mello. Personagem: Côro
1966 - "Soraya, Posto 2". Direção: Jairo Andrade.

PREMIAÇÕES

TEATRO

1964 - Prêmio Revelação da Crítica - RS
1968 - Prêmio Melhor Atriz / Festival Internacional de Teatro do RS
1980 - PRÊMIO Açorianos Melhor Atriz Coadjuvante 0 rs
1984 - Prêmio Açorianos Melhor Atriz - RS
2009 - Troféu Brasken

CINEMA

1997 - Melhor Atriz - Festival de Brasília
1997 - Troféu Saruê - Festival de Brasília
1998 - Melhor Atriz - Festival de Recife
1998 - Melhor Atriz - Festival de Trieste
1998 - Medalha da cidade de Porto Alegre
1998 - Troféu Federasul
2000 - Melhor Atriz - Festival de Curtas
2000 - Melhor Atriz - 1º Prêmio APTC de cinema Gaúcho
2006 - Melhor Atriz Coadjuvante - Festival de cinema de Natal-RN
2006 - Melhor Atriz - Festival de Artes Visuais do Mercosul
2006 - Melhor Atriz - Festival de cinema de Gramado
2017 - Melhor Atriz - NYC Picture Start Film Festival

TELEVISÃO

2002 - Prêmio Master de Revelação - Novela Esperança
Fonte e arte: Ascom PMO
Osório - Art in Vento homenageada.png