Corpo Técnico debate o XXI Fórum Internacional de Educação

O XXI Fórum Internacional de Educação: Liberdades e Direitos Humanos: Uma reflexão consciente, será realizado na UNICNEC dos dias 19 a 21 de julho. Debaterá as diversas vertentes da educação, mais do que isso, uma interação constante por meio de músicas, oficinas de Tai Chin Chuan, peças teatrais, rodas de conversas, entre outras atividades. Criando um elo entre atividades, direitos e liberdades.

Carlos Jaime Dalpaz (professor e representante da Coordenadoria Regional de Educação- CRE), destaca que participa do evento há quase duas décadas e a abordagem de “Liberdades e Direitos”, possibilita com que exista um diálogo mais próximo entre alunos, professores municipais e professores universitários.

“O diferencial do evento talvez seja a aproximação entre alunos, professores municipais e professores universitários (UERGS, UFRGS e outras instituições), muitos são grandes palestrantes e trazem contribuições valorosas no campo da Educação. O Fórum não tem um fim em si mesmo”, afirma.

Estiveram presentes: o professor Carlos Jaime Dalpaz (CRE), Rejane Schröder (Secretaria Municipal de Educação) e Angelita Rocha (professora da UNICNEC)

Dalpaz destaca que muitas vezes encontra-se com colegas de profissão, que sempre recordam de algum fórum e repassam que o aprendizado é inserido cotidianamente nas salas de aulas. “Haverá sempre frutos na relação entre estado, município e rede particular, mesmo que leve um certo tempo (Educação Continuada).

Na visão de Angelita Rocha (professora da UNICNEC),  a vinda das universidades de ensino para o Litoral Norte contribuiu muito com o evento, proporcionando um aquecimento do mercado acadêmico. Ela destaca que o Fórum tem o cuidado de obter apresentações mais acadêmicas; mas trazendo conferencistas comprometidos com o Litoral.

“O Fórum também quer ser um espaço de autorias. Transformar em um lugar de troca de experiências e não um lugar para apenas ouvir.  Precisamos aventurar na autoria”, afirma.

Rejane Schröder destaca que o evento uma amostragem de os professores (particular, municipal, estadual). Palestra de 150 pessoas a 200 pessoas, eles apresentam mecanismos de como deixam a aula de maneira mais interessante.

No campo do Direito & Deveres: “Somos uma sociedade que foi polida de muito direito. Quando houve uma abertura lá por meados dos anos 80/90, os direitos concedidos como sociedade, houve uma interpretação de que haviam somente direitos e não deveres, não existiu um equilíbrio, destaca Angelina.

Para Dalpaz, desde que os seres humanos se conhecem por gente. Existiram códigos e deveres. Algumas sociedades mundo a fora adquiriram o “direito” primeiro do que o dever. “Vai tudo de uma bagagem cultural. O professor Marcos Rolim, tem várias pesquisas que abordam os deveres, tratado no livro A Formação de Jovens Violentos: estudo sobre a etiologia da violência extrema, que tem como objeto retratar o jovem do EJA prisional”, reitera.

Ele vai além e afirma que embora Paulo Freire não explique toda a situação atual,  Só a Educação liberta.  Mesmo que algumas sociedades tenham levado 200 anos para se libertarem, não podemos deixar de acreditar no poder da educação, conclui.

O evento XXI Fórum Internacional de Educação: Liberdades e Direitos Humanos: Uma reflexão consciente é uma realização da UNICNEC, Prefeitura Municipal e a 11ª CRE, com o apoio da UERGS, UFRGS- Campus Litoral Norte e FURG.

Texto: Julian Rodrigues     Foto: Bruno Flores

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Post Anterior
Segurança é baleado durante assalto em Capão da Canoa
Próximo Post
Colisão entre ônibus escolar e moto deixa mulher ferida em Osório

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Corpo Técnico debate o XXI Fórum Internacional de Educação