Gurias do IFRS Campus Osório na Feira Brasileira de Jovens Cientistas

Três estudantes do Campus Osório são finalistas com projetos na Feira Brasileira de Jovens Cientistas (FBJC) – evento totalmente online idealizado por jovens do país, entre as quais a egressa premiada Juliana Estradioto. Em sua primeira edição, a iniciativa vai reunir, nos dias 26,  27 e 28 de junho de 2020, cientistas pré-universitários de todo país. Mas, antes mesmo do evento começar, já dá para votar nos projetos do campus para o prêmio Votação Popular.
Para isso, basta acessar o link www.fbjc.com.br/mostra.php, clicar nas áreas Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Humanas, que correspondem aos projetos desenvolvidos pelas alunas Victórya Leal, Natália Bernardo e Fabíola Pelissoli e curtir os projetos (conheça cada um deles abaixo, já com link diretamente para a votação!).
No evento, os projetos de pesquisa concorrerem a primeiro, segundo e terceiro lugares em suas áreas, além de credenciamentos para outras feiras, inclusive internacionais, patrocínios, entre outras premiações. O Campus Osório também é representado na atividade Maratona de Inovação pela equipe STEM Girls Osório, onde as estudantes Amanda Di Lorenzi, Júlia Destro e Camily Pereira somam-se ao trio Victórya, Natália e Fabíola.
Na Maratona, as equipes participam de três dias de desafios voltados à inovação, criatividade, resolução de problemas e design thinking. Os times que se destacarem serão reconhecidos com uma premiação especial surpresa dos patrocinadores e apoiadores do evento.
> Conheça os projetos e vote:
Participação social, governança das políticas públicas em Osório – RS e o conceito de comunidade cívica de Robert Putnam, da estudante Victórya Leal, do 2° ano do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Administração, orientada pelo docente Márcio Pozzer.
A pesquisa trata sobre as consequências da participação social na governança das políticas públicas culturais nos pequenos municípios brasileiros e o conceito da Comunidade Cívica de Robert Putman. A partir disso, o foco é a cidade de Osório, no Rio Grande do Sul, visando auxiliar no aprimoramento da administração pública do município, principalmente na área cultural. Entre os diferentes motivos que tornam a análise relevante e inovadora está a carência de pesquisas, informações, banco de dados etc sobre os pequenos municípios brasileiros, deste modo é necessário que a ciência olhe para o que acontece nessas localidades, em vista que influencia, mesmo aos poucos, o governo nacional.
Análise de iniciativas envolvendo o uso da lógica de programação para o desenvolvimento do sistema educacional no Ensino Médio, da estudante Natália Bernardo, do 4° ano do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Informática, orientada pela professora Anelise Kologeski.
O trabalho analisa a eficiência da implementação da Lógica de Programação no ambiente escolar do Ensino Médio,  por meio do levantamento de dados, iniciativas, regiões do Brasil com maior número de iniciativas, entre outros conjuntos de informações relevantes e públicos em eventos, fornecendo um material para docentes e demais pesquisadores para que possa ser incentivada a inclusão digital em suas instituições de ensino.
Constelações inclusivas: figuras que contam histórias, da estudante Fabíola Pelissoli, do 4° ano do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Administração, orientada pela docente Marla Heckler.
A pesquisa sobre artigos voltados para didática do ensino de Física e Astronomia busca analisar o que já foi criado na área. A partir disso, são produzidos materiais como as constelações táteis de papel machê e papelão, com o objetivo de auxiliar estudantes com deficiência visual a compreenderem melhor nosso céu. Também se busca fazer a inserção de novos métodos de ensino-aprendizagem que sejam acessíveis para todos.
Fonte e arte: Ascom IFRS – Campus Osório