Imbé fecha compra do Castelinho para projeto cultural

Um dos mais antigos prédios da cidade agora é patrimônio público. O município de Imbé finalizou nesta quarta-feira (02) o processo de compra do Castelinho. O prefeito Pierre Emerim visitou o local, situado na esquina das avenidas Garibaldi e Nilza Costa Godoy, no Centro, e confirmou a conclusão da negociação.

Segundo o chefe do Executivo, a compra vinha sendo estudada pelo Executivo há algum tempo. A ideia de criar um ambiente cultural para recuperação e conservação da história da cidade foi ao encontro da disponibilidade de venda por parte dos atuais proprietários do imóvel. Após longa negociação, o município fechou a compra de toda a estrutura, avaliada em R$ 850 mil, pelo valor venal do imóvel: R$ 703 mil. O pagamento será feito com recursos próprios. “O proprietário aceitou reduzir o valor de venda para que o imóvel não fosse perdido e a Prefeitura ingressasse com o processo de recuperação e valorização da área”, explicou Pierre.

O próximo passo, a partir da posse do imóvel, é uma grande força-tarefa para manutenção de pontos como limpeza, iluminação e segurança. A restauração de objetos antigos para reaproveitamento no local, conservando a mística do ambiente, também receberá atenção especial. A ideia, conforme o prefeito, é realizar o tombamento do Castelinho como patrimônio histórico do município e transformar o local em um grande Centro Cultural que poderá receber desde exposições de materiais antigos até eventos culturais. “É um grande presente que estamos dando a moradores e veranistas. Este é, possivelmente, o prédio mais antigo e mais conhecido da nossa cidade. Uma atração turística que sempre despertou a curiosidade de todos e que estava prestes a virar em ruínas”, relembrou. “Conseguimos fazer a intervenção e concluir a negociação para recuperar este local que se tornou um símbolo da cidade. Vamos transformá-lo numa casa de cultura, algo que nunca tivemos na cidade e que falta muito na região”, complementa.

Idealizado pelo professor de desenho natural de Santo Antônio da Patrulha Walmyr Roszanyi, falecido há 30 anos, o Castelinho foi totalmente construído em pedra grés em meados de 1950, contrastando uma arquitetura medieval em pleno litoral gaúcho. Dentro do imóvel é possível encontrar objetos como escudos, espadas, lanças, esculturas, tochas, lustres em ferro e móveis de madeira, que dão o toque místico à decoração que será, na sua maioria, totalmente conservada. São aproximadamente 290 metros quadrados de área construída em um terreno com mais de 900 metros quadrados, o que dará a Prefeitura uma grande área externa de circulação, otimização de espaço e promoção de atividades. “Temos muitas ideias para este espaço. Nas próximas semanas vamos atualizar todo o plano de benfeitorias que estamos projetando e outras iniciativas que vamos promover neste grande espaço que será de toda a comunidade”, finaliza Pierre.

Fonte e foto: Ascom PMI