Osório realiza atividades no mês da Consciência Negra

Em celebração à história de luta de Zumbi dos Palmares contra a escravidão, o 20 de Novembro retoma discussões sobre igualdade e representatividade. Nesse sentido, a Ufrgs campus Litoral Norte, o Ifrs Campus Osório, Matutar, Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros, Indígenas e Africanos (NEAB/UFRGS), com apoio da prefeitura de Osório iniciou, na última segunda-feira (4/11), a programação alusiva à data da consciência negra. 

Até a sexta-feira (29/11), oficinas, palestras e tertúlias discutirão sobre a importância da cultura negra para identidade cultural municipal e nacional. O grupo Maçambique de Osório, representado pela rainha Ginga Francisca Dias e o Doutor em Antropologia social, pela Ufrgs, Iosvaldyr Bittencourt, realizará, na terça-feira (12/11), o Sarau Cultural "Oliveira Silveira - Consciência Negra", às 16h, no Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos(Ceclimar), em Imbé.

O mês voltado para consciência negra é uma parceria entre os municípios de Osório,Cidreira, Imbé e Tramandaí, através das entidades: UFRGS Litoral, Matutar,Secretaria de Desenvolvimento,Turismo,Cultura e Juventude de Osório, Secretaria de Saúde de Osório, IFRS Osório, Ponto de cultura Flor da Areia (Cidreira), Ceclimar(Imbé), Biblioteca Oliveira Silveira ( PMO) e Maçambique de Osório.

SOBRE O 20 DE NOVEMBRO

A data corresponde à morte de Zumbi dos Palmares. Considerado símbolo de resistência,  Zumbi era líder do quilombo dos Palmares e lutou contra a escravidão até seu falecimento, em 1695. Em 1971, o grupo de ativistas negros "Palmares", de Porto Alegre, reivindicou o 20 de novembro como "Dia do Negro".  Mais tarde, em 1978, o movimento Negro Unificado rebatizou a data para o "Dia da Consciência Negra", tornando-a nacionalmente conhecida. A data foi institucionalizada em 2011, com a lei nº 12.519, valorizando a importância cultural, histórica e política dos afro-brasileiros na sociedade.

Fonte e arte: Ascom PMO