Prefeitura de Santo Antônio promove evento sobre trabalho infantil

A secretaria municipal do Trabalho e do Desenvolvimento social realizou na sexta-feira (20/07) o evento “Trabalho não é coisa de criança”. Centenas de crianças e adolescentes das escolas do Município participaram da programação realizada no Centro Clube, com o objetivo de chamar a atenção para a temática, bem como esclarecer sobre o que pode ser considerado trabalho infantil.


Durante a abertura a secretária Ana Cristina Ramos agradeceu a presença de todos e falou da importância de abrir o diálogo sobre o assunto. O prefeito Daiçon Maciel da Silva, que têm quatro filhos, disse que sempre primou para que os mesmos estudassem. “Procurei mostrar aos meus filhos que não há problema algum em ajudar nas tarefas de casa ou da família, mas jamais os estudos podem ser prejudicados, pois deles dependem o futuro de cada um”. De acordo com o último Senso, Santo Antônio da Patrulha apresentou cerca de 600 crianças em condição de trabalho inadequado para sua idade. No Brasil, este número é de mais 3.500 milhões.


É considerado trabalho infantil, no Brasil, aquele realizado por crianças ou adolescentes com idade inferior a 16 (dezesseis) anos, a não ser na condição de aprendiz, quando a idade mínima permitida passa a ser de 14 (catorze) anos.


A secretária da Educação, Dalva Provenzi de Carli, a Primeira Dama, Aglaé Regina da Silva, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Taylene Emerim Brigido e a coordenadora da agência local do SINE, Vera Portal, também prestigiaram a atividade.


Durante a apresentação do grupo Thêatro Xebebéu, olhares atentos à mensagem da peça sobre trabalho infantil. O exemplo de um menino que convenceu o pai de que, deveria de ir à escola ao invés de trabalhar, transmitiu a todos a importância do aprendizado. Tanto, que no final da peça, o pai do aluno volta para a sala de aula.


As crianças e adolescentes que participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, da secretaria municipal do Trabalho e do Desenvolvimento Social, apresentaram a capoeira, a música e a dança, abrilhantando o evento. O SCVF está focado no desenvolvimento das capacidades e potencialidades de cada indivíduo, prevenindo situações de vulnerabilidade social.

 

IMAGENS