Saída de médicos cubanos preocupa prefeito do Caraá

O prefeito do município do Caraá, Nei Pereira, concedeu entrevista para o programa “Olho Vivo”, desta sexta-feira (16). A notícia de que Cuba irá sair do programa “Mais médicos”, do Governo Federal, foi o assunto central da conversa. 


Contando com 3 médicos cubanos, conforme salienta o prefeito, o município irá realizar reuniões para buscar alternativas. “Vamos discutir qual seria a solução para suprir a falta desses profissionais na cidade”, declarou. Ainda segundo Nei Pereira, a notícia “caiu como uma bomba” e representa a perda de mais da metade do atendimento à Saúde na cidade, já que o Caraá conta com apenas 5 médicos. 

Elogiando a atuação destes profissionais, o chefe do Executivo falou sobre a boa avaliação dos cubanos: “Nos dois anos de atividade no município, não houve problemas ou denúncias.” Além disso, o prefeito pontua a boa formação, que comprova a capacidade dos três em atender os cidadãos. 

Ele informa que eles exercem a carga horária de 20 horas semanais, recebendo em torno de R$ 2.800. Por opção, os médicos alocam apartamento em Santo Antônio da Patrulha, sendo levados até o Caraá pela Prefeitura. 

Com a saída, o prefeito do Caraá apontou a possibilidade de aumentar a carga horária dos médicos brasileiros. Segundo ele, os profissionais que já trabalham 20 horas semanais, recebendo por isso R$ 5.400, teriam que dobrar a carga horária, a fim responder a demanda. 

Encerrando o prefeito registra que as ações a serem tomadas a partir da saída dos médicos cubanos ainda estão em análise e devem ser divulgadas posteriormente.