Uma ação conjunta da Força Tática da 3ª Cia, Agência de Inteligência do 2ºBPAT e Agência Regional de Inteligência do CRPO Litoral, resultou na prisão de integrantes de uma quadrilha especializada em furto e clonagem de veículos em Tramandaí.  No último sábado (31) os policiais militares chegaram em uma residência na Rua Francisco Thomáz do Nascimento, 320, bairro Humaitá. O local foi monitorado e os indivíduos suspeitos foram acompanhados, até o momento em que um veículo em ocorrência de furto, foi identificado, proporcionando a prisão de uma quadrilha especializada em furtos e clonagem de veículos. Inicialmente, a equipe de Força Tática da 3ªCIA Tramandaí recebeu a denúncia de que uma Camionete GM/D20 Custom, de cor vermelha, placas BLK1911 que havia sido furtada no município de Três Coroas na noite anterior, teria sido levada para Tramandaí. O veículo estaria com um indivíduo identificado como Itamar  Pereira Remuge, de alcunha “Magrão”,38 anos, e com antecedentes por ameaça, furto qualificado, furto de veículo, tráfico de drogas,  homicídio, roubo a motorista de carga, lesão corporal, roubo de veículo e outras fraudes, tendo sido preso em seis oportunidades.  A  denúncia  também referiu que Itamar,  tinha em uma pousada onde residia, mais dois veículos provenientes de furto.  Os policiais militares passaram a monitorar o local e quando o suspeito chegou em uma VAN FIAT/DUCATO, placas MFQ6828, de cor Branca para remover a camionete GM/D20, já com as placas clonadas ICX3880, que tinha como destino, o estado de Santa Catarina. Os veículos foram acompanhados pelas equipes de inteligência, sendo solicitado para a equipe de Força Tática que realizassem a abordagem. Itamar estava dirigindo a VAN, acompanhado do indivíduo identificado como Glauber Freitas Wolff, de alcunha Alemão Glauber, 40 anos, com antecedentes por receptação de veículo, desobediência, recaptura de presos, furto qualificado,  furto de veículo, furto em veículo, falsa identidade, falsificação de documentos particulares, dano qualificado, porte ilegal de arma, formação de quadrilha e roubo a estabelecimento comercial. No momento da abordagem os dois suspeitos empreenderam fuga vindo a se lesionarem no momento em que tentavam pular um muro, onde resistiram à prisão. Na condução do veículo GM/D20 estava, Jefferson Cardoso Marqiues, de 31 anos, com antecedentes no Rio Grande do Sul,  por estelionato, furto de veículo, ameaça, lesão corporal e outras fraudes, e em Santa Catarina  por estelionato, furto, ameaça e posse de entorpecentes, e que era monitorado através de tornozeleira eletrônica pela justiça de Santa Catarina. Quando os policiais militares guarneciam os locais da denúncia, a esposa de Itamar  foi  flagrada  dirigindo um veículo HONDA/CIVIC, de cor prata, placas NON0A76. Em revista feita no carro, foi localizado atrás do porta-luvas um equipamento bloqueador de sinal de rastreadores veiculares (JAMMER). O veículo   também foi recolhido por suspeita de envolvimento em crimes praticados pela quadrilha. Em diligência na pousada localizada na Rua Vergueiros, 560 onde Itamar residia, e que teve o acesso franqueado por ele e por sua esposa, foi encontrado um veículo FORD/PAMPA, de cor azul, placas IED2579  também suspeito de ser um veículo clonado, uma vez que foram observador  indícios de ter sido pintado da cor azul, sendo que foi constatado que a cor original seria branca, além de indicativos de possíveis adulterações nos sinais identificadores do veículo. Ainda foi localizado diversos materiais sem procedência, como um compressor de ar e duas pistolas de pintura automotiva, provavelmente utilizada para pintar os veículos furtados. E ainda uma bolsa de primeiros socorros, furtada de uma ambulância. Outra equipe estava guarnecendo a casa de Jefferson, na Rua Osvaldo Aranha, 538, onde a camionete GM/D20 estava escondida anteriormente, neste local a  equipe encontrou a carroceria (Baú) de alumínio que foi retirada da camionete, e mais um veículo GM/CORSA de cor Vermelha, placas CLW4645, também clonado e com indícios de ter sido pintado da cor vermelha, cuja a cor seria originalmente prata. Também foi verificado  a existência de adulterações nos sinais identificadores do veículo. Diante dos fatos, foi dada voz de prisão aos indivíduos, conduzidos para laudo médico, posterior a DPPA, juntamente com os veículos e materiais apreendidos, onde foi lavrado o Auto de Prisão em Flagrante,  por receptação e associação criminosa.