O promotor de Justiça de Tramandaí Rodrigo Ballverdú Louzada, juntamente com a coordenadora do Grupo Especial de Prevenção e Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Gepevid), Carla Carrion Frós, realizou na sexta-feira, (16), reunião sobre a importância da construção de uma rede de proteção articulada no combate à violência doméstica e familiar.  “Quando assumi a 2ª Promotoria de Justiça de Tramandaí, em julho deste ano, percebi a tramitação de um número expressivo de expedientes envolvendo violência doméstica e familiar contra a mulher. Por isso, solicitei auxílio da Dr.ª Carla Frós, que coordena o Gepevid, para fomentar a articulação da rede. Acredito que seja apenas o primeiro passo, mas fundamental para a redução dos índices”, disse Louzada, lembrando ainda que os municípios que compõem a comarca estão entre os 30 mais violentos do Estado para as mulheres.  Conforme Carla Frós, a partir de agora, o Gepevid irá auxiliar na execução de projetos na promoção dos diretos das vítimas, na capacitação dos integrantes da rede, na realização de seminários interdisciplinares e para construção de uma cultura de proteção às mulheres em situação de risco, além de incentivar a implementação de melhorias nos serviços. Ainda, de acordo com a promotora de Justiça de Vacaria Bianca Acioly de Araujo,”promover a articulação da rede e fomentar a aproximação do Ministério Público da comunidade é uma estratégia de prevenção necessária e exige um olhar diferenciado do promotor que atua, não só para o trabalho formal, mas para uma atuação que tenha frutos efetivos e duradores”. O encontro, ocorrido no salão do júri do Foro de Tramandaí, contou também com a presença da juíza Magali Rabello, representante da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado, e da coordenadora do Escritório de Gestão Estratégica e Projetos do MPRS, Janine Borges Soares.

Foto: MP/Divulgação