A exoneração do vice-prefeito Martim Tressoldi (PSDB) do cargo de secretário de obras de Osório, ocorreu devido a uma conclusão do prefeito Roger Caputi Araujo(MDB), que Tressoldi sofreu desgastes devido a algumas ações na condução administrativa das obras. Em entrevista a Rádio Osório, no Programa Olho Vivo, comandado por Elias Silveira, na manhã desta terça-feira (28), Araujo revelou que algumas ações do secretário estavam deixando a desejar, “a sensação de tivemos, foi de que em determinado momento, ele perdeu a mão, e a coisa, saiu do controle”, se referindo a algumas deficiências apresentadas por Tressoldi, na administração do pessoal e das demandas do município. “O exemplo que usei é semelhante a um treinador de futebol que não consegue mais fazer com que a equipe produza tudo aquilo, que pode produzir”, se referindo a ações que estavam deixando a desejar. “A gente tá sendo cobrado pela sociedade, pelo cidadão que paga seus tributos e quer uma cidade limpa, organizada e embelezada, e a gente começou a não ter esse resultado”, justificou Araujo. O prefeito revelou que o Tressoldi, reconheceu que não conseguia mais fazer com que a equipe dele rendesse, “por isso resolvemos trocar o treinador”, fazendo alusão a uma prática comum do futebol, que quando um time não consegue resultados positivos, o treinador é demitido. O prefeito Roger Caputi Araujo, reconheceu que Tressoldi fez um bom trabalho na etapa inicial de sua passagem pela secretaria, “ele fez um bom trabalho com ações importantes na manutenção de nossas estradas no morro e no interior, e localidades como Passinhos e Passo Fundo, e outras localidades que precisavam de intervenção, em que há anos precisavam de intervenção que há muito tempo não entrava uma máquina; uma patrola, uma retroescavadeira, onde faltava saibro, em um trabalho que ele fez, bem feito. Mas chegou num ponto em que houve um desgaste no relacionamento com as pessoas, que não é fácil. E antes que criasse um problema maior, conversamos e se optou por fazer a mudança”, explicou. De acordo com o prefeito Roger Caputi Araujo, a ideia é dar um novo rumo e remotivar a equipe para dar sequência ao trabalho. “O que passou a me incomodar foi a questão da limpeza que a população cobra muito. Ela quer um serviço de qualidade. Osório é uma referência. É uma cidade plana, bonita, limpa, aconchegante, e precisamos manter isso. Planejar isso”, exclamou. Para isso, a administração municipal já estaria adotando algumas medidas como a remoção de frentes de trabalho que estavam atuando nos distritos para realizar um mutirão nos principais pontos da área urbana de Osório. Outra providência a ser adotada será a contratação de empresas terceirizadas para manutenção de 41 praças, e onde há necessidade de roçadas e capinas, “esse ano ficamos impossibilitados de chamar operários concursados, mesmo que fosse através de contratos emergenciais, devido a pandemia” justifica. “Além de não criar vinculo, o custo é menor” destaca. Para o lugar de Tressoldi, foi nomeado Claudio Aliardi, que segundo o prefeito Araujo, possui experiência, e conhecimento da estrutura da secretaria de obras e da garagem de prefeitura. Ele irá ter o apoio de dois assessores para a parte mecânica e para as sub-prefeituras.  Sobre a repercussão política da exoneração, Araujo referiu que não haverá ruptura, “os cargos do PSDB não serão tomados. Não brigamos, apenas fizemos ajustes na administração”, apregoou. O prefeito de Osório, declarou ainda que irá rever algumas posições na administração, “eu quero resultados”, declarou. Sobre o futuro, Araujo, defendeu que a população que irá decidir, “se tiver que voltar pra casa, voltarei de cabeça erguida, mas se o povo entender que mereço ficar mais um tempo, eu fico! Não estou trabalhando, pensando nisso. Trabalho a cada dia para honrar o compromisso que me foi dado, que é cuidar da cidade de Osório”, concluiu

Foto: Pietro Marques/PM Osório