A Brigada Militar prendeu na tarde desta quinta-feira (9), Juliano Biron da Silva, 39 anos, considerado um dos principais líderes de uma organização criminosa no Estado. Ele estava foragido do sistema prisional, e foi recapturado pela  em Capão da Canoa. Biron, como é conhecido usava tornozeleira eletrônica, por estar cumprindo pena no regime semiaberto, por crimes anteriores, mas que  passou à condição de foragido, devido a um mandado de prisão por homicídio, expedido pela 2ª Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre.    Após trabalho de policiais militares da Inteligência do Comando-Geral e do 2º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (2º BPAT), Biron foi detido por uma equipe da Força Tática do Batalhão, em um condomínio residencial, junto à Estrada do Mar, quilômetro 35, no bairro Morada do Sol. O líder de grupo criminoso, oriundo da região Metropolitana de Porto Alegre, possui uma extensa ficha policial com antecedentes por homicídio, roubo à agência bancária na Capital, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, porte ilegal de arma e receptação de veículo roubado. Conhecido pela sua forma articulada de agir no mundo do crime, Biron, já havia sido preso anteriormente, e julgado por crimes anteriores que somaram mais de 30 anos de prisão. Porém, conseguiu progressão de regime, e após um tempo, segregado em uma prisão federal, no ano de 2017. Naquela oportunidade, foram apreendidos mais de R$ 5 milhões de reais, de sua posse. Porém, conseguiu a progressão  para o regime semiaberto  com monitoramento através de tornozeleira eletrônica. Entretanto, há dois anos, foi julgado por um caso de homicídio, em Canoas, onde foi condenado a cumprir 20 anos de prisão, em regime fechado, e por essa condenação, estava vivendo na condição de foragido. Após passar por exame médico, Biron, foi recolhido ao sistema prisional, sem que seu destino tenha sido revelado pela ´policia.

Foto: BM/Divulgação