A família do osoriense Jorge Antônio Nascimento e Silva, 52 anos, está vivendo um grande pesadelo, devido a troca do corpo de seu familiar, pelo corpo de um desconhecido, ocorrido no DML em Porto Alegre. Nascimento, teve morte constatada na manhã de domingo (17) quando estava em casa. De acordo com o irmão Ubiratan Nascimento e Silva, ele teria sofrido uma hemorragia interna, vindo a falecer. O corpo foi encaminhado para o DML de Osório, para ser submetido a exame de necropsia. Porém, nos finais de semana, o exame de necropsia não é realizado em Osório, e o corpo foi encaminhado para o DML de Porto Alegre. Nesta terça-feira, quando foram chamados para retirar o corpo de Nascimento, e proceder o sepultamento, foi constatado que se tratava de uma outra pessoa. O problema foi descoberto porque o funcionário do DML, indagou aos familiares, se desejavam ver o corpo, que estava crivado de balas, uma vez que fora assassinado à tiros. A filha de Jorge Antônio, alegou que havia algo errado, porque seu pai, havia morrido, devido a uma doença, e não assassinado. Foi feita a apuração dos fatos, e constatado que o corpo de Nascimento havia sido trocado e encaminhado para uma outra família, que não conferiu o corpo e realizou o sepultamento sem velório, em um cemitério de Porto Alegre. Ao procurar pelo corpo, os familiares de Nascimento, receberam inicialmente, a informação de funcionários do DML, de que havia ocorrido um erro na documentação, que seria refeita, demorando algum tempo. Posteriormente, uma servidora do DML, chamou os familiares de Nascimento, e os encaminhou para uma conversa com o diretor do DML, que então, explicou o que ocorrera, com a troca dos corpos. Porém,  o corpo de Nascimento já havia sepultado, e existem exigências protocolares  a serem cumpridas, nesses casos. A família segue em Porto Alegre, e não há previsão de liberação do corpo para o sepultamento, e foi orientada a registrar boletim de ocorrência na Policia Civil, a fim de que sejam apurados os fatos.