Agentes da Policia Civil da DRACO Xangri-Lá, com apoio do setor de inteligência e equipe tática do BOPE – Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar, efetuaram a prisão de um homem que estava foragido da justiça, há três anos, sendo apontado como umas das lideranças de uma facção que atua no litoral norte, região da serra e possui base no vale dos sinos.   Com base nas investigações realizadas a partir de um caso de  homicídio registrado em 8 de junho desse ano, foi apurado que a referida liderança, em associação aos demais asseclas, seriam os  autores intelectuais e que financiaram o crime, que teve como motivação, a disputa por território de venda de drogas. O foragido preso nesta terça-feira(19),  já havia sido alvo da denominada “OPERAÇÃO NITRO”, a qual apurava tráfico de integrantes da mesma célula, vinculados a alguns corretores de imóveis do litoral norte.   As diligências, apontaram que o alvo estava em uma residência no Morro Santa Tereza em Porto Alegre, tendo sido realizada ação policial que resultou na prisão do suspeito. A companheira do acusado também teve a prisão preventiva decretada,  e foi presa na mesma ocasião, por ser associada a célula criminosa.  No local foram apreendidas duas pistolas 9 mm, carregadores com capacidade para 30 e 45 cartuchos, 130 munições 9 mm, um automóvel, aparelhos celulares, anotações do tráfico e outros elementos importantes para comprovação dos crimes cometidos pela facção criminosa.  A ação faz parte dos trabalhos desenvolvidos pela DRACO/XANGRI-LÁ, que tem como objetivo desarticular as células criminosas como um todo, imputando as responsabilizações pelos crimes perpetrados por estas, desde os executores até os autores intelectuais e financiadores, sendo estes os principais alvos. Esta é a quarta fase da operação, que anteriormente realizou a prisão de 7 indivíduos, apreensão de diversas armas de fogo, drogas dentre outros. Ainda, foram realizadas prisões dentro das casas prisionais onde parte das lideranças estão recolhidos, pois mesmos segregados continuavam exercer a coordenação de atividades criminosas ora investigadas por esta Especializada.

Foto: PC/Divulgação